Arquivo da categoria: A Arte que contagia

Realidades inesperadas…

Com esta realidade inesperada que estamos todos a viver a nível global, tudo ou quase tudo parou. Novas realidades são vividas de forma diferente, algumas já contornáveis, outras ainda por contornar…

Temos que nos adaptar a cada nova realidade porque o mundo não acabou, somos seres incríveis com capacidades ilimitadas, somos um povo guerreiro que não baixa os braços mas sim arregaça mangas e capaz de reinventar soluções a cada adversidade colocada em nossos caminhos.

Os museus fecharam portas mas passaram a serem visitados de forma diferente, passaram a ser visitados virtualmente, e desta forma deixo aqui um curto vídeo da exposição de Josefa Sousa a decorrer até dia 30 de Abril no Museu de Oliveira de Frades – Aveiro.

Já abriu as portas – Exposição de pintura e instalação de Josefa Sousa

Josefa Sousa vai estar até 30 de Abril no Museu de Oliveira de Frades

Contamos com a sua visita nesta viagem às Salinas de Aveiro onde poderá conhecer a sua história que marcou décadas e ainda apesar de uma quantidade reduzida de salinas activas, nos oferecem um cristal precioso para a nossa saúde que é o Sal.

O mito que o Sal aumenta a pressão arterial e que faz mal à saúde… de facto o sal que faz mal é o sal refinado, o industrializado que é alterado e que contém alumínio e outros metais pesados prejudiciais à nossa saúde.

Mas tratando-se do Sal Marinho, este é o remédio dado pela natureza e das melhores substâncias que podemos dar ao nosso organismo.

O Sal Marinho, integral, é concentrado em sódio, potássio e iodo que equilibra e alcaliniza o pH do nosso sangue.

Também ajuda a desintoxicar o corpo e afasta vírus, estimula a circulação sanguínea de forma natural, alivia calos, calosidades, dores reumáticas e artrites e ainda relaxa todo o sistema muscular.

https://youtu.be/rSTEaZsUjKc

Visita com direito a miminho ( sal marinho das salinas de Aveiro)

Esperamos por si!

O Museu de Oliveira de Frades e Josefa Sousa agradecem a sua visita.

Esta exposição inclui uma palestra sobre o sal com data ainda a agendar.

Janeiro já lá vai e melhor seria difícil!

O mês de Janeiro despede-se de forma generosa e muito gratificante, e é com enorme satisfação que me despeço dele abraçando-o com gratidão e com desejo e convicção de que os seguintes meses sejam exemplos a seguir a este primeiro.

É tudo o que mais se pode desejar, começar um novo Ano revitalizada, inspirada e motivada a seguir esta caminhada com resultados muito satisfatórios e estrondosos.

Começar o ano com inspiração generosa, contagiante e reconhecida, amadurecendo e progredindo a cada passo, a cada dia, a cada Obra, e brotar magia que contagia!

Só me resta dizer e sentir, Gratidão!

“O Moliceiro” 2020 (Série Salinas de Aveiro) Vendido
“O Marnoto” 2020 (Série Salinas de Aveiro) Vendido

Janeiro já lá vai e melhor seria difícil!

Que venha o Fevereiro… 😉

Josefa Sousa

Salinas de Aveiro e o Mar

Estreia da Série I “Salinas de Aveiro e o Mar” no Museu de Vouzela encerrou em grande e dará continuidade à sua mostra em Novembro de 2019 na Casa Museu de Oliveira de Azeméis com extensão de obras que estão a ser criadas até lá.

Um especial agradecimento a todos que por lá passaram e puderam rever de uma forma abstracta e contemporânea as Salinas de Aveiro e ainda reflectir sobre um tema comum a todos sobre a preocupação e proteção do nosso Planeta.

A Série I e II “Salinas de Aveiro e o Mar” de Josefa Sousa, estará patente no final do ano na Casa Museu de Oliveira de Azeméis com novidades.

Até lá e Gratidão!

Série “Salinas de Aveiro” de Josefa Sousa

“Salinas de Aveiro” e o Mar (Marinhas de Aveiro)

A exploração do sal na região de Aveiro remonta a uma época anterior à existência da própria Ria de Aveiro.

Dado ao elevado e progressivo índice comercial e marítimo, Aveiro em 1572 tornou-se um dos melhores Portos de Portugal, havendo um grande incremento na comercialização de sal e na pesca do bacalhau.

Em 1808 com a abertura da nova barra (sistema artificial que permite a entrada da água do mar), o futuro das salinas de Aveiro e de toda a região foi determinante.

A produção do sal sempre desempenhou um papel importante na economia da região de Aveiro mas tem vindo a diminuir nos últimos anos, apenas algumas salinas permanecem.

Série "Salinas de Aveiro" de Josefa Sousa

Josefa Sousa

Escolheu este tema “Salinas de Aveiro” e o Mar, para homenagear esta grande marca histórica e cultural de Aveiro e ao mesmo tempo sensibilizar a importância da protecção do Planeta limpando e reciclando o lixo das nossas praias e dar vida ao que é suposto ser “morto”, contribuindo também com a diminuição de mortes das espécies marinhas. 

“Reciclar o lixo que o mar dá à costa dando-lhe vida e tornando-o em arte. Porque a arte é vida e a vida é arte! “ (Josefa Sousa)

“Salinas de Aveiro”

Série “Salinas de Aveiro”
Josefa Sousa

Uma série de Obras sobre as Salinas de Aveiro que Josefa Sousa traça com o seu pincel numa homenagem à sua cidade natal.

Onde predomina a cor azul do mar que desagua nas salinas junto à cidade, a luz do sol faz-se sentir brilhando de forma intensa sobre toda esta planície aveirense.

Os montes de sal refletem nas água das salinas dando ainda mais brilho a esta terra simpática e contagiante.

Uma cidade a visitar!

Josefa Sousa

“Gentes Invictas” em Coimbra

A Casa da Mutualidade recebe durante o mês de Março a exposição “Gentes Invictas”, da autoria de Josefa Sousa.
A mostra de pintura estará patente entre os dias 04 e 29 de Março na Casa da Mutualidade – Galeria de Arte e Centro de Mutualismo. + info: http://bit.ly/cmgentesinvictas




Muito agradecida a todas as visitas e comentários sobre a mesma.

Josefa Sousa